Get 20M+ Full-Text Papers For Less Than $1.50/day. Start a 14-Day Trial for You and Your Team.

Learn More →

South Atlantic Exchanges: The Role of Brazilian-Born Agents in Benguela, 1650-1850

South Atlantic Exchanges: The Role of Brazilian-Born Agents in Benguela, 1650-1850 Abstract: Em meados do século dezessete, com a participação das tropas militares oriundas da colônia do Brasil no episódio da expulsão dos holandeses da África centro-ocidental, os laços entre as colônias portuguesas do Brasil e Angola aumentaram gradativamente. Oficiais coloniais brasileiros, assim como degredados e comerciantes de grosso trato, chegaram ao porto de Benguela com objetivos e perspectivas diferentes. Enquanto uns foram deportados por crimes contra a coroa ou contra indivíduos para o porto conhecido como o "tumbeiro do homem branco," outros chegaram em busca de mão-de-obra escrava mais barata e abundante do que em outros portos africanos. Ocupando postos na administração colonial, americanos, brasílicos ou brasileiros, como eram identificados nas fontes primárias, não chegaram a formar uma comunidade à parte durante o século dezoito. Com a independência do Brasil, um movimento liderado por brasileiros procurou unir a colônia de Benguela ao nascente império, com o intuito de evitar a pressão britânica interessada em abolir o tráfico. O movimento fracassou e foi duramente reprimido pelas autoridades portuguesas. Porém, o conflito revela a separação da comunidade de brasileiros a princípios do século XIX, que já não se via mais identificada e representada pela coroa portuguesa. Esse artigo explora os laços que uniam as colônias do Brasil e Benguela durante o período 1650-1850, buscando enfatizar o papel dos indivíduos nascidos no Brasil no comércio de escravos e na emergência do porto de Benguela como num dos mais importantes no Atlântico Sul. http://www.deepdyve.com/assets/images/DeepDyve-Logo-lg.png Luso-Brazilian Review University of Wisconsin Press

South Atlantic Exchanges: The Role of Brazilian-Born Agents in Benguela, 1650-1850

Loading next page...
 
/lp/university-of-wisconsin-press/south-atlantic-exchanges-the-role-of-brazilian-born-agents-in-benguela-srXhVyqeTJ
Publisher
University of Wisconsin Press
Copyright
Copyright © the Board of Regents of the University of Wisconsin System.
ISSN
1548-9957
Publisher site
See Article on Publisher Site

Abstract

Abstract: Em meados do século dezessete, com a participação das tropas militares oriundas da colônia do Brasil no episódio da expulsão dos holandeses da África centro-ocidental, os laços entre as colônias portuguesas do Brasil e Angola aumentaram gradativamente. Oficiais coloniais brasileiros, assim como degredados e comerciantes de grosso trato, chegaram ao porto de Benguela com objetivos e perspectivas diferentes. Enquanto uns foram deportados por crimes contra a coroa ou contra indivíduos para o porto conhecido como o "tumbeiro do homem branco," outros chegaram em busca de mão-de-obra escrava mais barata e abundante do que em outros portos africanos. Ocupando postos na administração colonial, americanos, brasílicos ou brasileiros, como eram identificados nas fontes primárias, não chegaram a formar uma comunidade à parte durante o século dezoito. Com a independência do Brasil, um movimento liderado por brasileiros procurou unir a colônia de Benguela ao nascente império, com o intuito de evitar a pressão britânica interessada em abolir o tráfico. O movimento fracassou e foi duramente reprimido pelas autoridades portuguesas. Porém, o conflito revela a separação da comunidade de brasileiros a princípios do século XIX, que já não se via mais identificada e representada pela coroa portuguesa. Esse artigo explora os laços que uniam as colônias do Brasil e Benguela durante o período 1650-1850, buscando enfatizar o papel dos indivíduos nascidos no Brasil no comércio de escravos e na emergência do porto de Benguela como num dos mais importantes no Atlântico Sul.

Journal

Luso-Brazilian ReviewUniversity of Wisconsin Press

Published: Oct 29, 2013

There are no references for this article.